Ser adolescente é ter as emoções à flor da pele. É ter vontade de gritar, gargalhar, sorrir, pular, chorar e se sentir no topo do mundo. Ser adolescente é se agarrar às pequenas coisas, é sentir como se soubesse todas as respostas, mas sofrer com a mudança constante que a vida faz com suas perguntas. É sobre descobrir quem você é e qual é o seu objetivo.

Em meio a tantas pessoas, pais, amigos, conhecidos, o adolescente sente como se estivesse sozinho no mundo. Tudo é insuficiente, a meta é sempre querer mais e mais. Ser adolescente é conviver com mudanças de humor, de amizade, de amor. É não ter certeza sobre assuntos que antes pareciam claros demais. É sempre ter dúvida sobre seus reais sentimentos. Ser adolescente é se importar até demais, é tornar um problema dez vezes pior do que ele realmente é. É dar gargalhada por coisas muito simples, e cinco minutos depois, chorar por motivos mais simples ainda.

O adolescente quer ser sempre diferente: ter as melhores roupas, os celulares de última geração, os corpos mais bonitos. Talvez seja por isso que ser adolescente esteja se tornando cada vez mais difícil. Diante de tanta informação, queremos ser sempre aceitos, seja na “rodinha” dos amigos ou em casa.

Ser adolescente é tirar notas ruins e morrer de medo da reação dos pais. É se apaixonar e sofrer com suas paixões platônicas. É ter grandes sonhos e não se contentar com a realidade. Ser adolescente, acima de tudo, é ser excêntrico, intenso e prezar pela liberdade de fazer o que quer. Ser adolescente é viver cada segundo como se fosse o último. É estar longe do começo, mas também distante do fim.