Crianças: esquecidas por uns, motivo de irritação para outros, mas, na maioria das vezes, acompanhadas de um simples olhar e um largo sorriso, trazem os mais puros sentimentos de amor, paz, alegria e esperança.

No Brasil, o dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil, é conhecido também como o dia das crianças. Do ponto de vista econômico, é demasiadamente favorável aos comerciantes que lucram com a venda de brinquedos e presentes para os baixinhos brasileiros. Porém, não tão cômodo para os pais e responsáveis, principalmente os que possuem renda menos favorecida, pois, no mundo de hoje, se torna cada vez mais difícil realizarmos os desejos insanáveis da geração mirim.

Atualmente, pais e filhos vêm perdendo tempo uns para os outros. Isso acaba afetando não apenas na rotina dessas crianças, mas também na sociedade, já que a importância da família vai se desgastando e seus valores vão sendo deturpados.

Infelizmente, presentes e famílias unidas não fazem parte da realidade de muitas crianças no Brasil e muitas delas têm no lugar disso a violência e vivem sem a oportunidade de conhecer uma educação de qualidade e até mesmo segurança em seu dia-a-dia. Mas existem projetos criados exatamente para lhes oferecerem essa chance. O inspetor do Colégio Marília Mattoso, Douglas de Oliveira, tem apenas 26 anos e já faz parte desse grupo de investidores do futuro com o projeto Primeira Chance, para que eles não precisem da segunda.

Tudo começou com experiências de perda vivenciadas dentro de sua comunidade. Desde então, Douglas percebeu que precisava fazer mais por aqueles que lá vivem, mudando a mentalidade e a realidade das crianças da comunidade, que hoje é uma problemática presente no cotidiano das mesmas. Com o foco na educação, Douglas recruta crianças entre 4 e 15 anos para receberem aulas em sua casa todos os sábados e realizarem atividades de recreação. Ele e sua equipe se esforçam para manter os jovens no caminho certo e fazer jus ao seu lema:  “Vamos deixar de ir para enterros e começar a ir às formaturas. ”

Com pais negligentes e desinteressados no futuro de seus filhos, baixa infraestrutura, poucos recursos e o número de crianças crescendo, sua missão se torna cada vez mais difícil. Sendo assim, se você se interessou por essa iniciativa, é possível contatar o projeto pelo seguinte número: (21) 97688-4969. Afinal, todas as crianças merecem a oportunidade de ter uma vida digna, não somente no dia 12 de outubro, e sim, todos os dias.


Texto: Beatriz Biasoli, Beatriz Pacheco, Laura Tavares, Luiza Katriny, Mariana Torquato